A Benetton tem algo a dizer

Veja galeria de fotos com a nova campanha

Cool hunting

Saiba mais sobre o meu curso de verão na Universidade Feevale

Mania de esmaltes vira clube de compras

Conheça a EsmalteriaClub

Mercado de luxo ou classe C

Em qual mercado vale mais a pena investir no Brasil?

domingo, 29 de junho de 2008

Ah, que isso? Amy está descontrolada!


Agora que a Britney acalmou e tenta reconduzir a carreira e a vida pessoal de volta pros eixos, é a vez de Amy Winehouse assumir o posto de bafona da vez. Agora é ela que estampa as homes de sites de celebs toda semana com notícias bombásticas, ainda mais trágicas que a senhorita Spears.

Amy está no primeiro estágio de enfisema e tem apenas 70% de sua capacidade pulmonar. A cantora abusou de crack, cigarros e cocaína, e assim, seus pulmões foram prejudicados. Existem alguns nódulos e marcas escuras em seu tórax.

O pai de Amy, Mitch Winehouse, tem acompanhado a filha na maratona de exames e internações. Segundo ele, Amy disse estar conciente de que deve parar com os exageros.

Caso não siga as orientações médicas, seu diagnóstico pode ser fatal. Especialistas prevêem um futuro breve onde Amy fique sentada em um quarto usando máscara e lutando para respirar.

OH MY GOOOOOOOOOOD AMY!

Mire-se na Brit e lute gata!!!

Esse bafo é fortíssimo! Dou 10!

Porque ela pode ficar lesasíssima e morrer né...

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Eu mato!!!


Para promover a série sangrenta Dexter, do Canal FX, uma agência da Espanha espalhou braços (falsos e realistas, claro) em alguns açougues de Madri. Um modo bem impactante que se encaixa perfeitamente com a essência da tal produção americana.

As ações de guerrilha não pararam por aí. Nos EUA, o ShowTime trocou a água de várias fontes em Los Angeles, por sangue falso, dando um resultado interessante ( e sinistro).

Em Portugal, foi distribuído um "media kit" composto por uma caixa de "papel celofane Dexter", tendo a garantia que “O papel de embrulho Dexter, devido à sua impermeabilidade e aderência mantém a vítima bem acondicionados e o chão sem salpicos de sangue, evitando assim, a formação de pistas e vestígios de assassinos.” As infos sobre a série seguiam embrulhadas na própria película. Além disso, promotores se espalharam em diversas vias (movimentadas é claro) de Lisboa, com uma faca encravada nas costas, com o sangue escorrendo, e distribuindo (?!) folhetos dentro de sacos de plástico com vedante. Alguns estavam caídos como se tivessem mesmo levando uma facada…

Em mijatórios de baladas, foram colocados cartazes que anunciavam a série. Ao dar descarga, via-se sangue escorrendo. E isso remetia-se no mesmo instante aos dizeres do cartaz: ” Vê sangue em todo o lugar? Então essa série é para você!”. (veja no vídeo abaixo)

Medaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Meldellllllllllllls, sem muito pensar, dou 10 na escala bafônica!!!

Por quê? Precisa dizer? Totalmente politicamente incorreto!

Fonte: Blog Comunicadores

video

domingo, 22 de junho de 2008

Lenço Palestino, quem vai?


Ele não é só um acessório de moda. Ele não é um simples lenço "xadrezinho". Ele não é apenas o hype de ocasião.

A tal peça é na verdade, o keffiyeh, ou shemag, o tal lenço palestino.

Quem o levou para a passarela foi Balenciaga, em sua antepenúltima coleção, o que quer dizer que não é mais "novidade". Mundo afora, homens e mulheres desfilam pelas ruas com seus lenços sobre camisetas, vestidos e até casacos.

Para muitos árabes, o fato de a moda banalizar os keffiyehs pode significar falta de respeito ou má sorte. Isso porque o lenço xadrez – que pode ser preto e branco, azul e branco ou vermelho e branco, basicamente – é um símbolo cultural e político.

Por tradição, é um adereço do homem árabe e, desde os anos 60, representa o nacionalismo palestino, especialmente depois de ter sido a marca registrada de seu ex-líder Yasser Arafat, falecido em 2004.

O lenço legítimo está com os dias contados. As várias tecelegens originais acabaram, e há apenas uma confeccionando o produto, na Cisjordânia. E, mesmo ela, vai mal. O negócio é comprar o de Balenciaga ou apelar para as cópias chinesas.

E aí, qual o grau desse bafo?

De 1 a 10: 8!

O porquê: Porque o mundo todo usa, fala bem ou mal, quer muito, ou detesta. Porque foi raptado do povo árabe e virou tumulto.