quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

À moda carioca - parte II

Não há melhor destino brasileiro no Reveillon do que o Rio de Janeiro, e pra lá me mandei na véspera, com meu amigo Marcos, porém em voos diferentes. Uma recepção super querida nos esperava. E chuva também... Enquanto eu matava as saudades, Marcos atrasava o voo, chegando quase 23h! Só deu tempo de voar pra Copacabana, pra assistir os fogos, sem jantar, só beber! Nossa ceia foi no Bob's, às 4h! Podre de bêbados e molhados. Tudo aconteceu muito rápido naquele dia, mas os dias que se seguiram foram especiais e demoradinhos. Consegui aproveitar e pesquisar mais do comportamento carioca. Lembram da minha primeira viagem pra lá?
Um dos lugares mais queridos do Rio pra mim, já é Santa Teresa e suas ruas de pedra, o casario antigo, o bonde, as lojas de artesanato e brechós. Passamos um dia se aventurando por lá e quase subimos todo o Corcovado a pé! Na volta ganhamos uma carona! uahauahuahauhah...
Por onde se vai, há turistas estrangeiros. Eu fui confundido com alemão, americano e inglês o tempo todo. Aproveitei para tirar uma onda e exercitar meu English! Na imagem acima, tentei fazer uma foto de turistas franceses, na praia da Barra. Estilosíssimos, os meninos vestiam short da Vilebrequin - que são lindos - chapéus panamá e cangas com print do Brasil. Aliás, chapéus e cangas são básicos para todos os meninos, estrangeiros ou não.
Na mesma praia, assistimos uma sessão de fotos com duas modelos bem piriguetes. Não parecia ensaio de moda...
Nenhum outro lugar visitado dessa vez marcou tanto quanto o barracão da Mangueira, em plena favela. Fui com um grupo de meninas bem patricinhas, e nos misturamos a gringos, passistas, mauricinhos e comunidade. Mais heterogêneo impossível, e mesmo assim, todo mundo se diverte e se respeita da mesma forma.
In-crí-vel a sensação de sambar sob o som da bateria do teu lado! Nenhum de nós quis ficar no camarote. Aliás, tava vazio por lá. O quente é a pista. Ai, como quero voltar!!!
E como meu negócio é experimentar e dançar, o próximo destino foi o Centro de Tradições Nordestinas, na Feira de São Cristóvão. Lá o forró rola solto e não tem essa de ficar parado. Fique de frente pra pista, com os braços estendidos sob o corpo e você dará o sinal de que quer um par pra dançar. Nos divertimos horrores, tomando Itaipava! huahauahauha
Além dos shows de forró, tem muita comida típica (eu não me arrisco depois da trasheria estomacal que me acometeu na Bahia), artesanato e produtos que são a cara do Nordeste. As mantas de sofá que compramos aqui no Sul por quase R$100, são vendidas lá a R$10!
Em Ipanema, a Feira Hippie toma conta da Praça Gal. Osório nos domingos. Dá pra ficar doido com tantas opções bacanas. Negociei em inglês com um vendedor, e ele me enrolava horrores enquanto eu ria por dentro. Por fim, deixei ele se achando esperto e não contei que era brasileiro.
E tem até versão 2.55 da Chanel por lá! hauhauahauhauah... em todas as cores meu povo!
Mas bacanas e originais mesmo são os colares da Satya. As criadoras são tão orgulhosas do produto, que não deixam fotografar e não contam nem sob tortura como o produto é confeccionado. Por isso não tenho imagens, mas vale a entrada no site. As peças são feitas com fios coloridos encerados, mas não ficam desengonçadas. Ficam firmes e elegantérrimas. Pudera, o colar mais barato gira em torno de R$300!
Vestidos longos, que são mais a cara do próximo inverno do que desse verão, estão por toda parte. Pra quem faz a linha alternativa, é um prato cheio.
Mas não vá ou volte do Rio sem uma canga de Ipanema. Baratas (R$15 em média) e estilosas, elas fazem as vezes de toalha, esteira e até veste à beira mar.

De todo esse desafio Rio, uma saga me perseguiu: encontrar um coco gelado. Percorri milhas e milhas atrás da bebida que é a cara do Estado e só fui encontrar no terceiro dia, e pasmem onde: Leblon!

Uma outra bebida que foi surpresa e nos conquistou, foi o melzinho, uma cachaça com mel e canela, que faz o maior sucesso no Rosas, um complexo de bares e restaurantes atrás do Barra Shopping. Lá dançamos um pagode pegado com a Lidu, uma designer de calçados famosérrima na cidade e sua prima queridíssima. Pena que ainda não recebi as fotos com elas.

Fica aqui também meu carinho à Clô (apelidamos ela assim porque ela é a cara na Clotildes do Chaves), a dona do bar que ficamos. Apaixonadíssima e não correspondida, Clô nos abriu seu coração.

Que saudade do Rio, que saudade de tudo. Como é bom estar apaixonado, hein Clô?

Reações:

12 se meteram:

Meu Rio, de fato é uma cidade encantadora( apesar dos pesares)

Adoro a Feira Hippie, assim como Santa Tereza, a Lagoa, as ruas charmosas do Leblon, o Centro da Cidade...e uma dica: para não ficarem de confundindo com gringo TODA HORA é só se vestir a la carioca - bem, pode não funcionar 100% mas confunde a cabeca de muita gente! hehe

Um beijo e amei seu post!!!

Olha gostei de ver as fotos de ferias, ... ainda mais se jogando na Mangueira, rs.. adorei, quero mto ir no carna do RJ..

beijos querido!!!

Gostei muito do blog!E que bom que gostou do Rio e não foi assaltado como sempre dizem por aí.Eu sou do Rio e nunca fui assaltado e acho uma sacanagem quando tenta tirar o brilho da cidade com noticias negativas.

Abrçs!

Que chato o que aconteceu contigo!Mas que bom que ainda consegui falar do lado positivo.
Adicione como seguidor meu blog de moda masculina:
http://euvouassimhomens.blogspot.com/
Já estou seguindo o seu.

Abrçs!

Olá Querido!
Não tenho aprontado nada.. por incrivel que pareça. rss
Então, amei o seu post sobre o Rio.. ai cangas são as minhas paixões.. quando fui pra porto Seguro comprei várias coisinhas diferentes. Adoro! E não me trouxe nenhuma lembrança? rss

Beijos, e um ótimo dia pra vc.

Gente, meu sonho é sambar no barracão da Mangueira. Deve ser incrível!!
ai invejinha boa! hehehe
beijo

Nao sabia q Birman era do Sul... adoro os sulistas.. rs..

beijao

quero is AGORAAAA para o rj. bjos

Fiquei amarrado nas peças da Satya! Demais! Belo post querido! Parabéns!

Que invejaaaaaaaaaaaa! Fui pro Rio enão fui em Santa Tereza e nem na escola de samba! :(

Ah, tenho um tio que trabalha nessa feira hippie.

Bjussssssssss

Santa teresa é apaixonante né?

gostei do seu blog.